Windows Live Messenger + Facebook

quarta-feira, 23 de setembro de 2009

O Santo dos Santos


Ninguém chega ao Santo dos Santos sem um elemento - DISPOSIÇÃO PARA DAR. É PRECISAMENTE POR CAUSA DISSO QUE ANTES DO TERCEIRO VÉU TEMOS O ALTAR DE INCENSO, A FIM DE QUE SEMPRE SE OFEREÇA ALGO. "Apague da sua memória a ideia de que só vamos ao Trono do Pai para pedir", precisamos aprender a dar e a dar aquilo que temos de melhor, para um Deus que não poupou o Seu melhor para nós.

Lembra de Abraão? Pois é, o que aconteceu com este amigo de Deus? Abraão é um exemplo vivo de homem que "DÁ E DÁ O SEU MELHOR". Qual foi a sua motivação? AMOR E OBEDIÊNCIA, QUANDO SE AMA SE CONFIA, QUANDO SE CONFIA SE OBEDECE!!!!!!!!!!Ele é um dos grandes exemplos bíblicos de ADORADOR.

O SANTO DOS SANTOS
Eis a parte mais tremenda da tenda da congregação. O mais solene e importante lugar do Tabernáculo, era um quadrado de cerca de 5 metros de cada lado. Nesse sacratíssimo lugar o Sumo-sacerdote entrava uma vez por ano, no décimo dia do sétimo mês, levando consigo o sangue da expiação e também o incensário de ouro em que se queimava o incenso santo. Como as divisões do Tabernáculo estão por ordem crescente, o Santíssimo Lugar representa a Plenitude de Deus no Crente. Ef. 3:16-17.

Neste recinto foi guardada a ARCA DA ALIANÇA, detrás do último véu. Era o lugar onde Deus habitava. A arca possuía aproximadamente 1.20 metros de comprimento e 80 centímetros de altura e 80 de largura, era de madeira de cetim e toda revestida de Ouro, por dentro e por fora. Sobre a arca, se colocava uma grande prancha de ouro: O PROPICIATÓRIO, medindo 1.25 * 0,75 metros, sobre a qual estavam dois Querubins um em cada extremidade, com asas abertas e olhando para baixo, e entre eles Deus pôs a Sua Glória, SHEQUINAH_ A GLÓRIA PERPÉTUA, desta forma, no Lugar Santíssimo não havia necessidade de lâmpada. Uma nuvem escura cobria o propiciatório e envolvia essa luz gloriosa, tornando-a ofuscante e inacessível.

“PORTANTO HOMEM NENHUM VERÁ A MINHA FACE, E VIVERÁ”.

O propiciatório era o local onde no DIA DA EXPIAÇÃO, o Sumo-sacerdote aspergia sangue da vítima oferecida para a expiação do pecado do povo. O

CONTEÚDO DA ARCA
1. AS TÁBUAS DA LEI: As tábuas de pedra simbolizavam a perfeita vontade de Deus, que Jesus cumpriu plenamente. Sl.40:8

2. A VARA DE ARÃO: Esta mesma vara que havia florescido – Nm.17. A vara era de amendoeira, a primeira árvore que floresce na primavera, e por isso fala de nova vida após a morte, Inverno.


3. O MANÁ: Na arca ainda estava o vaso de ouro com maná. Segundo João 6, Cristo é o verdadeiro maná, o alimento para a nossa jornada de peregrinos. Mas o Santo dos Santos é um tipo de Céu, ali não precisamos mais do maná… Porque então, o maná está aí? É porque lá em cima, ele nos servirá como um memorial celeste de todo o gozo que já na terra tivemos em Cristo.

As tábuas de pedra, a vara de Arão e o vaso com maná, colocados dentro da Arca, apontam para a base do trono de Deus, que é Justiça e Juízo – Sl.33:5/ 84:14.

O que há no Céu, agora, não é um trono de juízo mas um trono de graça. Pode se considerar bem-aventurado quem agora se achega a esse trono para que seja indultado, para receber a graça de Deus.

No pátio está a luz natural do sol, no Santo Lugar está a luz espiritual do Espírito Santo e no Santo dos Santos a luz da glória de Deus. Ex.40:34.

No pátio o crente é redimido

No Lugar Santo é Santificado

No Santo dos Santos é glorificado

“A TRANSFORMAÇÃO DA VISÃO DO SANTUÁRIO POR TODOS OS SEUS SIGNIFICADOS É PRECISAMENTE O QUE NOS LEVA HOJE A PRESENÇA SOBERANA DE DEUS PARA ADORAÇÃO, POIS NO CÉU NÃO HÁ UM SANTUÁRIO LITERAL, O PRÓPRIO DEUS É O PRÓPRIO SANTUÁRIO – APOCALIPSE.21:22-23.”

sexta-feira, 11 de setembro de 2009

O Altar de Incenso (uma das jóias no processo da adoração)


Medindo 1 metro de altura e meio metro de cada lado, o altar de incenso era de madeira de cetim, com quatro pontas, uma em cada lado. Todo ele coberto de ouro e decorado com uma coroa desse mesmo metal ao redor. A sua disposição no Santuário era junto ao terceiro Véu, ao ocidente, de sorte que ao entrarem no Santuário os sacerdotes o tinham bem a sua frente, enquanto a esquerda (sul) ficava o candelabro e a direita (norte) a mesa.

Neste altar, todo coberto de Ouro Puro, não se ofereciam animais como no altar de bronze que estava no átrio. Aqui só se podia queimar incenso aromático. O cheiro agradável do incenso subia a Deus. O significado simbólico do incenso é esclarecido em Salmos. 141:2 e Apocalipse.8:3_ São as orações dos Santos, também compreende as acções de graça, o louvor e a adoração do povo de Deus. Hebreus.13:15.
Tudo isso sobe a Deus mas é oferecido no altar.

Por assim dizer, é como se o Altar o levasse a Deus. Vemos, portanto que é Cristo que apresenta as nossas orações e acções de graça a Deus.
Seriam aceitáveis a Deus se viessem directamente de nós? Não. Cristo as santifica.
Cada crente pode assim na condição de sacerdote, aproximar-se de Deus. Mas os filhos de Deus também podem fazê-lo em conjunto, como sacerdócio santo podem oferecer sacrifícios espirituais, agradáveis a Deus por intermédio de Jesus Cristo.

Por ser meio de ligação com o Santo dos Santos este altar possui importante aplicação para a nossa vida cristã.
Ele aponta para as nossas orações especialmente para o nosso louvor e adoração. O Sumo-sacerdote não podia entrar no Santíssimo Lugar sem conduzir um incensário portátil, no qual o incenso estivesse sendo queimado.
O Salmo 84: 3, diz que o pardal e a andorinha têm os seus ninhos, um lugarzinho onde podem descansar. E o Salmista continua a descrever o lugar de descanso como sendo nos TEUS ALTARES, SENHOR DOS EXÉRCITOS, REI MEU E DEUS MEU!

Note que a palavra altares está no plural, pois há dois.
Primeiro a pessoa deve achar descanso no altar de bronze, dos holocaustos, no átrio. Significa que ela deve reconciliar-se com Deus junto a Cruz. Este passo é o começo de sua vida de fé.
Depois, pela oração e adoração gozará descanso junto ao altar de ouro, do incenso. Este é o segundo passo.

A Adoração é a coisa mais sublime que um homem pode oferecer. Começa aqui na terra e jamais terminará. Já aqui na terra podemos oferecer louvores e adoração, mas na verdade trata-se daquilo que será a nossa ocupação no Céu por toda Eternidade_ Ap.5.

O INCENSO

Este devia ser elaborado exactamente segundo a instrução divina. Uma mistura de alguns ingredientes que veremos, não era permitido que ninguém o reproduzisse ou então que o cheirasse. O INCENSO ERA UM SEGREDO SÓ PARA DEUS.
A plena delícia da glória do filho AMADO EXCLUSIVAMENTE PARA O PAI.
No holocausto, vimos a obra da redenção que Cristo realizou.
No incenso vemos a que Ele próprio é.
Não se trata do que Ele fez ou concretizou, por grandioso que seja, mas trata-se de suas qualidades pessoais.

Uma pessoa é mais que a obra que tenha feito! Pensemos em Sua grandeza, Seu maravilhoso amor e Suas muitas glórias. Não podemos nós como sacerdotes oferecer isto a Deus? Sim podemos levá-lO ao Pai, podemos dizer a Ele tudo o que encontramos e admiramos no Filho. Podemos nos deixar preencher por tudo que encontramos no Senhor Jesus, tudo o que temos desfrutado em Sua pessoa e falar com o Pai. Aí teremos comunhão com a Trindade de Deus.
É verdade que jamais poderemos agradecer – Lhe o suficiente pela redenção cumprida e pelas bênçãos que recebemos em decorrência.
Mas o incenso, a adoração é algo mais que agradecer: É gozar junto ao Pai aquilo que o Filho é, Sua Beleza, Seu amor e todas as Riquezas de Sua pessoa. É incenso de aroma agradável ao Pai.
Quando meditamos na pessoa do Senhor Jesus, quão grande e quão cheio de amor Ele é… e aí então podemos nos achegar a Deus e compartilhar com Ele, isso é adorar.
É derramar o bálsamo de Nardo puro de nossa alma como o fez Maria de Betânia quando ungiu os pés do Senhor e toda a casa se encheu com o cheiro do perfume. Isto é oferecer incenso de aroma agradável.

Ninguém chega ao Santo dos Santos sem estar disposto a dar!

A COMPOSIÇÃO DO INCENSO
Nos elementos que compõem o incenso puro: O ESTORAQUE, A ONICHA E O GÁLBANO, encontramos preciosas inspirações para nossa vida de oração, adoração e acção de graças.


1 O ESTORAQUE

A raiz desta palavra, na língua hebraica, significa “gota”, talvez pelo facto desse perfume desprender-se espontaneamente do arbusto do mesmo nome: o “STORAX OFFICINALE”. Isto sugere que o nosso louvor e adoração devem ser espontâneos.


2 A ONICHA

Esse perfume era extraído de um molusco marinho, o STROMBUS, que vive nos mares orientais.
Esse elemento nos ensina que nossas orações e adoração devem vir das profundezas da alma, tal como em David, que disse: Das profundezas a Ti clamo, e em Ana que com amargura de alma orou ao Senhor e chorou abundantemente.


3 O GÁLBANO

Esse terceiro elemento era extraído de um arbusto do mesmo nome, encontrado na Arábia, Pérsia, Índia e África. Diferentemente do Estoraque, o Gálbano brotava das folhas e galhos mediante a sua trituração.
Nossa adoração e súplica devem partir de um coração quebrantado e contrito.
Arrancar nossos louvores de corações moídos e vidas partidas, como das folhas de Gálbano.
E Deus não apenas receberá nossos louvores, mas usará poderosamente para glória de Seu nome.
Vemos com esta explanação a enorme importância do incenso, neste processo.

BENÇÃOS MIL!!!!!