Windows Live Messenger + Facebook

segunda-feira, 6 de julho de 2009

O ÁTRIO (OU PÁTIO) - Parte 1



E começamos a caminhada:
O Átrio ou Pátio, cercava o tabernáculo e tinha uma única porta de acesso, nele os sacerdotes reuniam-se com o povo. Nele havia o GRANDE ALTAR DE BRONZE E A BACIA DE BRONZE.
O altar: Para holocaustos, um altar onde se matava um animal para oferecer sacrifício, representa o CALVÁRIO.

O primeiro passo no caminho para a comunhão com Deus consistia em oferecer holocausto neste altar de bronze, o animal precisava morrer, precisava haver derramamento de sangue, sem sangue não há remissão de pecados – II Co.5:21/ Rm.8:32/ Hb.9:22. O animal era inocente, um culpado jamais poderia assumir o lugar de outro culpado.
Ao entrarmos para o Tabernáculo, a primeira peça com a qual nos deparamos, é o altar de bronze. Este aponta para a Cruz, a fim de melhor compreendermos o significado desta peça temos de recorrer á Hebreus.10:19-20.
"Nós temos acesso ao Pai pela morte de Jesus no Calvário, isto implica dizer que, qualquer que quiser chegar-se a Deus para adorá-lO deverá antes identificar-se com o sacrifício de Jesus no Calvário, ter os pecados perdoados, ser limpo pelo sangue derramado e estar reconciliado com Deus – Rm.5:10".

O altar era grande, o animal era colocado no altar, o homem punha a sua mão sobre a cabeça do cordeiro. Fazendo assim, o homem reconhecia que era culpado e o cordeiro inocente. Morto o cordeiro, o homem era considerado livre e inocente como antes era o animal.
Ao estendermos as nossas mãos para Jesus e reconhecendo o nosso pecado somos livres e tornados inocentes, pois Jesus um dia já entregou-se por nós e morrendo na Cruz livrou-nos de toda a culpa. Somos livres para adorar a Deus.

Neste altar temos a presença de fogo. Paremos, para então ver o maravilhoso espectáculo, aí está o grande altar de bronze, as chamas que dele saem… a fumaça subindo ao Céu, nos quatro cantos do altar levantam-se chifres untados com sangue… estes apontam para o Céu, é como se o altar estivesse estendendo as suas mãos a Deus, como se estivesse apresentando o sacrifício a Deus.

No processo de adoração, ao chegarmos diante do altar de holocausto, devemos parar e olhar para duas vertentes:
1. Nos identificando com o sacrifício de Jesus por nós, a fim de termos acesso ao Pai.
2. Nos apresentando, a nós mesmos como sacrifício vivo, santo e agradável a Deus, a fim de que nossos pecados e tudo que nos possa impedir de ir mais além sejam consumidos diante do altar, pelo fogo de Deus.

Para uma vida de adoração: Primeiro passo - a conversão. Nunca pense tornar-se um adorador de Deus sem que passe pela conversão. É necessário passar pelo altar de bronze, identificar-se com o sacrifício de Jesus no Calvário, ser justificado e regenerado, ter os pecados perdoados, possuir a marca do sangue que te dará acesso ao Santo dos Santos, só assim abrir-se-á caminho para o Trono de Deus.
E então apresentemos neste altar as nossas vidas como sacrifício vivo, santo e agradável a Deus – A mais pura adoração.
Bençãos Mil!!!


1 comentário:

  1. Oi Graça e paz!! Muito bom o estudo elucidou bem as minhas dúvidas, irei compartilhar com o ministério de louvor este ensinamento. Deus te abençõe abundantemente.

    ResponderEliminar